fbpx

Capítulo III: O segundo dos três erros

No primeiro capítulo conhecemos o velho Scrooge, um senhor ganancioso que odeia o Natal e a todos, cego pela ganância, recebe a visita do fantasma de seu antigo sócio na véspera de Natal. Se você não leu a primeira parte da narrativa, clique aqui.

No segundo capítulo, Scrooge é visitado pelo primeiro espírito, o fantasma do Natal Passado que o leva para visitar seus antigos natais e relembrar a pessoa que costumava ser e como acabou se tornando o ganancioso velho Scrooge. Se ainda não leu a segunda parte, clique aqui antes de continuar nessa narrativa natalina.

Depois da visita do fantasma do Natal Passado, Scrooge tão logo chegou em seu quarto e caiu num sono profundo. Acordando de sua soneca, sentou-se para organizar os pensamentos, estava próxima a visita do segundo espírito.

Preocupado com a próxima visita, ficou aguardando. Até que viu uma luz forte na sala ao lado, ao se aproximar da maçaneta, uma voz o chamou pelo seu nome, convidando-o a entrar. A sala era a de Scrooge, mas estava transformada, cheia de folhagens no teto e o chão lotado de alimentos, como um verdadeiro banquete. O fantasma o chamou para entrar, era o fantasma do Natal Presente, um gigante alegre que o aguardava para a viagem pelo presente. Vestindo uma túnica e com uma coroa de pinheirinhos na cabeça. Scrooge pediu ao fantasma que o guiasse aonde quisesse, pois, após o ensinamento do espírito anterior, queria aproveitar o que o fantasma teria para ensiná-lo naquela visita.

Ele pediu que Scrooge segurasse o seu manto e a sala desapareceu, logo estavam nas ruas da cidade na manhã de Natal.

O fantasma do Natal Passado levou Scrooge até a casa de seu empregado, o Sr. Bob Cratchit. A Sra. Cratchit, vestida com roupas simples, arrumava a mesa de Natal com a ajuda das filhas. Os demais filhos do Sr. Cratchit estavam chegando e, todos esperavam o pai, o irmão Tiny Tim e a irmã Marta, para a ceia de Natal. Eles tinham um ganso preparado para a ocasião.

Martha chegou e se escondeu aguardando o pai chegar com Tiny, para fazer uma surpresa. Logo todos chegaram e Scrooge viu toda a família do seu empregado, o pequeno Tiny Tim chegou à mesa escoltado pelos irmãos mais velhos, e sua pequena muleta batendo no chão. Ao final do jantar,Bob propôs um brinde de Natal, em nenhum momento ele soltava a mão de Tiny, como se temesse que alguém pudesse levá-lo.

Scrooge, vendo toda a cena, perguntou ao espírito se o pequeno viveria, mas infelizmente a resposta não era favorável, se as sombras permanecessem inalteradas ao redor do menino no futuro, ele não sobreviveria. Scrooge ficou perturbado com a declaração e implorou que o fantasma dissesse que o menino sobreviveria, mas o futuro da criança seria aquele se as sombras permanecessem daquela maneira.

Scrooge se surpreende ao ouvir seu empregado fazendo um brinde a ele, para desagrado da esposa. Bob defendia ser Scrooge que havia proporcionado a festa e todos beberam em seu nome, porém sem nenhuma alegria, enquanto a imagem deles ia se desfazendo, Scrooge continuava olhando para o pequeno Tiny.

Logo, não estavam mais na casa de Bob, mas sim, vendo os mineiros passando o Natal com as famílias. Depois, homens que vigiavam o farol e comemoravam o Natal. Até que chegaram a uma sala iluminada, onde estava o sobrinho de Scrooge, animado passando a noite de Natal com a família e amigos, eles riam enquanto ele contava que o tio havia falado que o Natal era bobagem e não quis se juntar a eles. Era uma ceia animada e o sobrinho de Scrooge, realmente lamentava que o tio não quis participar com eles, mas entendia que quem saia perdendo era o velho ranzinza. Scrooge estava animado vendo a agitação e pediu ao espírito que ficassem lá mais um pouco. Ele assistiu à festa do sobrinho por mais um tempo e logo estava viajando com o espírito novamente. Passaram por vários lugares, sempre com finais felizes, quando o espírito se aproximava, todos ficavam alegres e cheios de esperança, mas Scrooge foi percebendo que o fantasma do Natal Presente estava cada vez mais velho, a vida dele na terra era curta.

Quando pararam, das dobras da túnica do espírito saíram duas crianças, miseráveis e selvagens, o velho perguntou quem eram, se seriam filhos dele. O espírito lhe respondeu que não, eram filhos de Scrooge. O menino era a Ignorância e a menina a Cobiça. Os dois eram apegados a ele, o fantasma alertou Scrooge a ter cuidado com eles e com todos de sua laia, principalmente, o menino. Ele o aconselhou a negá-los e enfrentá-los para depois não reclamar de seu destino.

O relógio bateu meia-noite, Scrooge não via mais o fantasma, mas se lembrou de ter mais uma visita e olhando para cima viu um fantasma encapuzado…

Mas gente, qual o sentido disso no marketing? Vamos ver…

Tudo bem, esse capítulo deu mais trabalho!

Mas vamos falar de processos…

Um dos aprendizados de Scrooge neste capítulo, é que, independente de como esteja a vida de cada pessoa que ele visitou, cada uma delas enfrenta uma dificuldade diferente, embora, a alegria de estarem ali, juntas para a noite de Natal, seja parecida.

Scrooge passou momentos difíceis. Depois tentou fazer igual a todo mundo, mas não encontrou nenhuma alegria e se fechou no seu mundo, acreditando que o modelo de vida das outras pessoas estava errado.

Quando falamos de negócios, o objetivo final com o Marketing também é parecido para todos nós, afinal, todos queremos resultado, mas a maneira para chegar até ele, é que pode ser diferente.

A internet trouxe uma enorme facilidade de compartilhamento de informações, e isso é ótimo, porém, muitas pessoas mal intencionadas, vendem “soluções de sucesso” que não trazem resultados e fazem com que muitas pessoas fiquem desacreditadas com o marketing, achando que não funciona, ou, até mesmo, que todos os profissionais da área são charlatões.

Porém, não funciona assim, como dizem os “gurus do marketing”, não é simplesmente com dois ou três passos que alcançamos o sucesso. Para chegar aos resultados é necessário realizar diversos processos que nos ajudam a enxergar onde estamos e aonde podemos chegar, além dos caminhos que precisamos traçar para alcançar resultados efetivos.

Um dos passos principais é o planejamento estratégico, que falamos no capítulo anterior, depois dele, existem diversos processos que precisamos executar, utilizando técnicas e ferramentas como o inbound marketing, marketing de conteúdo, ferramentas de automação, marketing conversacional, SEO (otimização para mecanismos de busca), CRM, enfim, são meios essenciais para que no futuro possamos colher bons resultados.

Por isso, a lição que fica deste capítulo é: aproveite o presente, analise, neste momento, se você tem dado importância para estes processos, ou se você tem algum tipo de orientação profissional para conseguir executá-los.

No próximo capítulo, nós iremos para o futuro! O que acontecerá com o nosso velho amigo Scrooge? Ou, o que você acha que nos espera lá na frente, ou seja, quais são as tendências de Marketing? Você está preparado para lidar com elas?

Facebook
Twitter
Email
Print

Newsletter

Sign up our newsletter to get update information, news and free insight.